Joana Angélica no Livro dos Heróis da Pátria

Aplicativo FEBTv para dispositivos móveis
20 de abril de 2015
Pinga fogo Mediunidade e Juventude
22 de abril de 2015
JOANA DE ANGELIS

Clique na imagem para ampliar

A Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados aprovou, na última quarta-feira (15), o Projeto de Lei 5857/13, do Senado, que inscreve o nome da sóror Joana Angélica de Jesus no Livro dos Heróis da Pátria. A inscrição destina-se ao “registro perpétuo do nome de brasileiros que tenham oferecido a vida à pátria, para sua defesa e construção, com excepcional dedicação e heroísmo”.

A religiosa faleceu defendendo o Convento da Lapa na capital da Bahia, Salvador, contra soldados portugueses. Ela ocupava a direção do convento, em fevereiro de 1822, quando a cidade lutava contra as tropas portuguesas e é considerada a primeira mártir da luta que culminou com a independência da Bahia, em 2 de julho de 1823.

Segundo o psicólogo e escritor Cezar Braga Said em seu livro “Joanna e Jesus: Uma história de amor”, Joana Angélica seria uma das encarnações de Joanna de Ângelis, guia espiritual do médium Divaldo Pereira Franco, e à qual é atribuída a autoria da maior parte das suas obras psicografadas. Outras encarnações desse notável espírito seriam:

  • Joana de Cusa, uma seguidora de Jesus, inclusive citada no Evangelho, tendo sido queimada viva ao lado de seu único filho, juntamente com outros cristãos no Coliseu de Roma;
  • Clara de Assis (1194-1253), seguidora de Francisco de Assis e fundadora da Ordem das Clarissas;
  • Juana Inés de La Cruz (1651-1695), pseudônimo religioso da poetisa mexicana Juana de Asbaje, que viveu durante o século XVII.

O projeto será analisado em caráter conclusivo pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados.

CLIQUE AQUI se desejar ler a íntegra da proposta e ver a tramitação legislativa.

Os comentários estão encerrados.